terça-feira, 26 de março de 2013

A bola da vez

A bola da vez sou eu. Verdade, sou eu. Porque se eu não acreditar em mim, cuidar de mim, me desafiar, me amar, quem vai então?



Ser a bola da vez não é ser egoísta. Só é possível interagir por completo com outra pessoa, quando estamos completos de nós mesmos - ou em vias de.

Para ser a bola da vez, é preciso alimentar-se de vida, de energia, de esportes, cuidar-se bem como sempre cuidei de meus filhos e até melhor. Quanto melhor eu me cuidar, melhor energia libero à minha volta.


Hoje me levantei às 5.30h e estava às 6.30h na quadra de tênis. Meu bom dia à vida.

Numa quadra de tênis, você não aprende somente a jogar tênis, você aprende grandes lições de vida se estiver com os ouvidos bem abertos e o coração sedento.

Delci me posicionava na quadra e me ensinava a utilizar a raquete. Se você tem uma raquete em sua mão e não sabe como segurar, como fazer uso corretamente, a raquete certamente vai ser mal utilizada. E não é assim com tudo? Às vezes você tem coisas valiosas em sua mão, mas não vê ou não sabe o que fazer com elas. E aí, sem querer, deixamos "as raquetes" da vida de lado.


Bater na bola não era o foco. O foco era a raquete na minha mão. A raquete que dá direção à bola sob meu comando. Se eu seguro a raquete corretamente e de forma segura, a bola vai para o outro lado.
Muita gente bate na bola sem querer. Eu bato várias vezes na bola sem sentir quando deveria prestar atenção na raquete na minha mão. 



Perceba bem a foto. A raquete e muitas bolas. Como você reage, como pega na bola.
Foi nessa hora - eu absorta em meus pensamentos - que Delci me chamou a atenção: recuar. No tênis é importante recuar, respirar, parar e depois bater a raquete na bola.

Se todos nós diante de obstáculos, recuássemos para pensar, refletir e depois decidir em que direção jogar, tudo ficaria mais fácil. É porque fomos acostumados a reagir o tempo todo e não paramos para o recuo necessário.

Para ser a bola da vez, eu tinha que aprender a recuar. Respirar profundamente, pensar. Sentir. Depois de todas as etapas, eu poderia decidir e jogar.

É isso, aprendi milhões de coisas em 1h de tênis com o Delci hoje. Aprendo, porque abro os ouvidos e coração para escutar profundamente. Aprendo, porque entendo que preciso mudar algumas posturas para jogar melhor e, muito mais que isso, viver melhor.


Eu aprendi. Sou a bola da vez.

Beijos e bom dia

2 comentários:

  1. Bela reflexão! Gostei e vou aplicar.

    ResponderExcluir
  2. Vera, Bom dia!
    Parabéns! Ler o seu Blog renova a energia da mente! Agora só falta alinhar o corpo para encarar os desafios da Vida.
    Aprender não é para qualquer um, você tem toda razão, temos que aprender a APRENDER e nos permitir a isso... Muitas pessoas acham que já sabem de tudo, mas são as pequenas coisas que nos fazem enriquecer como indivíduos.. mas será que estamos sempre atentas e conectadas a estas pequenas coisas?

    Já estou refletindo....

    Ótimo final de semana..

    Vou acompanhar aqui, com orgulho, a sua jornada!

    Beijos e Felicidades!
    Maria Olinda

    ResponderExcluir

Obrigada à vera por seu comentário.
Beijos
Vera Lorenzo